Estreias da semana

Mesmo que a Pixar chegue nos cinemas do mundo para dominas as bilheterias, por aqui, ainda sobra espaço para dois indicados ao Oscar e um candidato a “diversão” do ano.
Vinicius Carlos Vieira


Toy Story 3
Andy está indo para a faculdade e seus brinquedos agora precisam sobreviver enquanto são dados para a caridade, sobrando apenas para o cowboy Woody salvá-los dessa situação... agora em 3D. Provavelmente a Pixar mais uma vez fazendo história, do mesmo jeito que nos dois primeiros, com seus personagens inesquecíveis, sua animação fora de série e uma tonelada de dinheiro (muito justo) de suas bilheterias astronômicas. Fortíssimo candidato a filme do ano (a não ser que dê alguma zebra). trailer

Kick Ass- Quebrando Tudo
A série de quadrinhos de Mark Millar, publicada por uma linha autoral da Marvel (“Icon”), é mal educada, engraçada, violenta, cínica e totalmente desesperada em não só desconstruir essa mítica do super-herói, como mastigar, cuspir e pisar em cima, e caso o filme de Matthew Vaugh faça metade disso, já vale o preço do ingresso. Vá ao cinema com a mente aberta e preparado para uma brincadeira violenta e visual, que infelizmente disputará sua posição nas bilheterias com os brinquedos da Pixar, mas pelo menos aparecerá como uma opção um pouco mais “adulta” que vai agradar muito gente. trailer

O Profeta
Produção franco-italiano que foi indicada ao Oscar de filme estrangeiro depois de fazer sucesso no festival de Cannes, e até ganhar o prêmio do júri, que mostra o caminho de um jovem árabe, de presidiário na França até o “sucesso” no mundo do crime. Pela cara, um drama pesado que, pelo menos, não deve pecar pelo ritmo, além de ser a opção menos blockbuster dessa semana de estreias
trailer

Em Busca de uma Nova Chance
Dramalhão que deve passar despercebido pelas salas de cinema sobre uma família que acaba tendo que cuidar da moça grávida do filho morto (na verdade faz sentido, só aqui que ficou esquisito). Um monte de personagens destruídos pelo luto e tendo que continuar vivendo, mas que no fim resolvem seus problemas um com a ajuda do outro. Serve também para apontar uma certa “velhice” de Pierce Brosnan que, em meia década, foi do par romântico de Selma Hayek para Meryl Streep e agora, por fim, Susan Sarandon. trailer

A Jovem Rainha Vitória
Não é exagero falar que esse talvez seja um dos último grande indicados ao Oscar a chegarem por aqui (foi apontado para três, mas saiu apenas com o de Melhor Figurino), a história é auto explicativa por seu título, assim como todo capricho visual que geralmente segue todos filmes envolvendo a família real britânica, além de um ritmo lento e aquele sotaque da terra de Sheakspeare. trailer

Voltando de uma pequena férias por aqui, e continuando a escrever sobre os filmes por aqui

0 Pessoas comentaram:

Postar um comentário

Próximas Anteriores Ínicio